Utilizamos cookies próprios e de terceiros para disponibilizar os nossos serviços e recolher informação estatística. Se continuar a navegar no Site, aceita a sua instalação e a sua utilização. Pode alterar a configuração ou obter mais informação sobre a nossa política de cookies.

Áreas
Menu
pt

Como se diagnostica a alergia em animais

Como diagnosticamos a alergia?

O diagnóstico da DAC baseia-se num protocolo de diagnóstico correto, no qual é sempre necessário descartar as causas mais comuns de prurido no cão, como por exemplo as ectoparasitoses ou as infeções bacterianas ou fúngicas.

Lamentavelmente, não é possível demonstrar em todos os casos a presença de IgE dirigidas aos agentes alergénicos ambientais.

A partir de uma amostra de sangue é possível saber se o animal apresenta anticorpos contra a saliva da pulga, contra alguns agentes patogénicos microscópicos como a Malassezia ou contra agentes alergénicos ambientais.

No caso da alergia alimentar, a melhor forma de a descartar/diagnosticar é através da utilização de uma dieta de exclusão ou eliminação durante pelo menos 8 semanas. Esta deve basear-se em proteínas novas para o animal ou em alimentos comerciais altamente hidrolisados. Os testes de alergia alimentar servem para decidir que alimentos devemos evitar incluir na nossa dieta de eliminação.

Há muito tempo que existem vários critérios de diagnóstico que o veterinário pode utilizar para identificar casos dermatológicos com probabilidade de ser uma DAC. Um estudo de Favrot et al. demonstrou que, caso se apliquem 5 dos 8 critérios clínicos indicados a seguir, é possível diagnosticar a DAC com uma sensibilidade de 85% e uma especificidade de 79% e diferenciá-la de outras doenças que causem prurido recorrente ou crónico.

Critérios de Favrot

Critérios de Favrot

Critérios diagnósticos da dermatite atópica canina (pelo menos 5 confirmados)

  1. Início dos sinais antes dos 3 anos de idade
  2. Cão que vive principalmente dentro de casa
  3. Prurido que responde aos glucocorticoides
  4. Prurido sine materia no início (por exemplo, prurido alesional/primário)
  5. Patas dianteiras afetadas
  6. Pavilhões auriculares afetados
  7. Margens auriculares não afetadas
  8. Área dorsolombar não afetada

Vet Dermatol. 2010 Feb;21(1):23-31. doi: 10.1111/j.1365-3164.2009.00758.x.
A prospective study on the clinical features of chronic canine atopic dermatitis and its diagnosis.
Favrot C1, Steffan J, Seewald W, Picco F.